Close

janeiro 19, 2017

Proposta de valor: Caso de uso

Um passo a passo de como o usuário resolve um problema no seu dia a dia.

No último post Proposta de valor – Prioridades iniciamos a questão da proposta de valor baseado nas prioridades dos usuários finais e clientes.

Nosso objetivo com esse post é descobrir mais coisas sobre sua persona/usuário final/cliente e afinarmos ainda mais nossa proposta de valor. E no Caso de uso daremos os primeiro passos de como nosso cliente irá usar nosso produto. Lembrando que você pode ter um produto funcionando ou não.

Montar esse caso de uso nos ajuda a entender especificamente o que o seu produto irá fazer pelo seu cliente e vice e versa.

Como o meu produto se encaixa na cadeia de valor do meu cliente? Por que querem usar meu produto? O que pode atrapalhar na adoção do produto?

É importante além disto saber se eles têm uma necessidade real pelo seu produto, como eles vão adquirir seu produto e se vão pagar por ele.

Um dos graves erros que cometemos é ver o nosso produto com nosso olhos e com isso acabamos super estimando o que fizemos, que ele é uma maravilha, que o cliente irá adorar, ele é fácil de usar.

Tem que ter em mente que você está propondo uma solução para um problema e que o seu produto, deve atender em cheio as necessidades existentes de sua persona que não estão sendo atendidas.

Vamos construir um exemplo abaixo, deixando claro que os nomes usados tanto das empresas, quanto da persona são meramente para demonstrar o exemplo e que essas informações foram criadas.

A empresa Trust Image Ltda(fictícia) na cidade de Santos desenvolveu uma tecnologia no reconhecimento óptico de caracteres e imagem está estudando a possibilidade de oferecer esse serviço para CET(Companhia de Engenharia de Tráfego de Santos).

A Trust identificou a aplicação de sua tecnologia para os agentes de trânsito em modernizar o sistemas de multas, substituindo o bloco de notas pelo tablet.

Verificou uma perda de tempo e ineficiência no processo, preenchimento errado na aplicação de multas, tanto em veículos em movimento, quanto estacionados e a empresa está perdendo muito dinheiro com isto.

E nessa fase de proposta de valor foi analisar como seria o dia a dia de um agente de trânsito no momento em que estava em operação e detalhou o processo.

Dia a Dia – Operacional: Pedro Anésio(Persona)

O trabalho específico seria andar por uma determinada área e ver quais veículos estavam estacionados em lugares com restrições, fazia a anotação da hora e placa em uma folha de papel, dava um apito, e voltava dentro de 15 minutos para verificar se os veículos ainda permaneciam ali, se tivessem outros fazia a mesma anotação, caso os veículos continuassem no local, emitia a multa: anotava os dados do veículo, dia e hora, local e infração. Ao final do dia levava as multas para que fossem processadas.

Havia uma necessidade clara deste agente ser mais eficiente e produzir mais resultados para a empresa, e que em muitos momentos perdia muito tempo na prescrição de uma multa, assim outras deixavam de ser feitas no local ou em outro ponto, dificultando ser mais ágil no seu dia a dia.

Suas prioridades naquele momento:

  • Não deixar que veículos atrapalhem o trânsito;
  • Emitir o maior número de multas;
  • Cobrir uma área da maneira mais rápida.

Uma coisa muito importante com essa informação é que o seu produto “precisa” se encaixar na rotina diária da persona, toda mudança brusca causa uma certa resistência e muitas vezes a impossibilidade de se fazer uma venda.

Levando estes dados em conta monte uma sequência com imagens, diagramas, fluxogramas que mostre a sequência. Dê preferência com imagens mostrando como seria caso de uso do seu produto pelo usuário.

fluxograma_cet

Nesse caso usei um fluxograma, mas fica muito mais apresentável mostrar algumas imagens na sequência de uso do seu produto.

O produto/solução seria uma aplicação no tablet de 7”, onde fosse possível rapidamente tirar uma foto, ou filmar e o software reconheceria pela traseira do carro a marca,modelo, tipo de carro, cor e a placa seria transformada em caracteres. Outro fator importante seria a localização por GPS para extração do local, e a multa seria emitida com apenas com três clicks, uma para foto, outra para infração e enviar. Os dados seriam atualizados automaticamente com a CET. Neste caso citamos uma possível solução, mas neste momento o entendimento e a investigação com sua persona é o mais importante.

Dessa forma você pode ver como o caso de uso do seu produto se encaixa com os valores do seu usuário/cliente(persona), é possível verificar restrições quanto a adoção da solução.

Passe muito tempo com sua persona levantando estes dados, todo o aprendizado fará diferença na hora que seu produto for para o mercado, quanto maior o conhecimento você tiver, mais precisa será sua análise.

Você pode ter acesso a planilha na aba [Caso de uso]: Planilha de ideias

No próximo post vamos continuar no assunto e representar visualmente o seu produto e afinaremos ainda mais a sua proposta de valor. Espero com isso ajudar e que novas startups surjam na nossa região. Até mais!

[Texto da minha coluna no Diário do Litoral de 16/12/2013]

Author: rcaspirro

Empreendedor serial de startup atualmente a frente do Eracog um assistente virtual baseado em inteligência artificial para agendamento de reunião via email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *